Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

* Faz-me falta..."

Tenho andado num vai e volta, fica e vai que me fez sair completamente da rotina e a fazer sentir-me desorganizada, praticamente com o meu mundo de pernas para o ar.

 

Sou uma moçoila de rotinas, preciso delas para me organizar e fazer tudo direitinho. Só assim sei funcionar - tanto cérebro como corpo - mesmo que a minha rotina e organização pareça estranha aos outros.

 

Quero com isto dizer que tenho a sensação que com esta minha última ausência de casa, a minha vida me fugiu das mãos, se descontrolou, que lhe perdi as rédeas. Até digo mais, acho que me desviei de um caminho que estava ali para mim. Apesar dos meus esforços para voltar a esse caminho, não sei se ele ainda ali está para mim, não sei se lhe encontro o rumo.

 

Faz-me falta o regresso, o ter aquilo que me pertence, o ser eu. 

up.jpg

 

* Pepper is back!*

Pois, é a Pepper está de volta! Descansada mas cansada, pronta para enfrentar as feras da vida de novo (conseguem ver as minhas garras e os dentes de fora?).

 

Na minha ausência, passei por...

- um super desgosto

- férias no alentejo

- oferta de uma prenda mordisca

- o meu aniversário

- muito namoro

- muito destilanço, nomeadamente na bigodaça (lembram-se?)

- um valente corte de cabelo

- algumas passeatas

- encontros com amigos

- e mais algumas coisas de que não me lembro agora porque preciso de almoçar para pôr o cérebro a funcionar!

 

Anyway, estou de volta! 

hello.jpg

 

 

{ Dos sentimentos. }

loli.jpg

Há dias em que sinto que a vida me tem vindo a trair de há uns tempos para cá. Sinto como se a vida desviasse do meu caminho as oportunidades de realizar desejos, sonhos, projectos pessoais. Não sou de desistir e vou sempre à luta mas há momentos em que o desânimo e a desmotivação para seguir em busca daquilo que queremos, é inevitável.

 

Sabem aquela sensação de que por mais que tentemos avançar, existe ali uma barreira invisível na qual estamos a embater sistematicamente e que faz uma espécie de efeito boomerang? Sinto que estou nessa fase. Tudo a que me proponho e que quero muito fazer ou que aconteça, não passa disso mesmo.

 

Quem me conhece na real life sabe perfeitamente a verdade constante nas palavras que escrevi. Queria que tudo fosse diferente, que a vida me desse segundas chances, oportunidades novas e pequenos bafejos de sorte. sim, porque eu estou sempre de mangas arregaçadas e pronta para ir à luta, por isso, vida, desafio-te a proporcionares-me as oportunidades, acompanhadas com alguns salpicos de sorte,  para realizar o que mais quero. Aceitas o desafio, vida?

 

Acordei assim...

... a sentir-me determinada. Com uma "coisa cá dentro" que parece que me está a dar Esperança e alento, a dar-me força. Não sei explicar. Parece que há uma micro luz ao fundo do túnel.

De há dois dias para cá, as coisas têm sido bem complicadas. São rasteiras atras de rasteiras pregadas pela vida. Sei que não as mereço e que a minha mãe tmabém não e também considero que o fardo que carrego já tem peso grande demais para o que consigo suportar.

Acho que já merecia uma alegria, um motivo para sorrir. Que esta escuridão que assmbra a minha vida desaparecesse para dar lugar ao mais belo dos arco-iris.

Embora esteja tudo contra mim, que nada me corra bem e quem nem um só pedido ou vontade meu seja atendido, decidi que eu vou ser ainda mais teimosa. Que ainda vou remar com mais força contra esta corrente que teima (oh se teima!!!) em me mandar abaixo.

Por isso, fica aqui já registado que não vou abandonar os meus sonhos e que seja de que maneira for, os vou concretizar, especialmente "aquele".

Vida, vê se te acalmas um pouco porque já tive a minha conta de coisas más.

dreams.jpg

 

O bebé da Madeira.

Não consigo entender como é que o dinheiro pode valer mais que um filho, um ser inocente.

 

Que se dê um filho porque não se tem condições dignas para o criar, é uma coisa, agora vender uma criança? As crianças não são "coisas" vendáveis... São bens de valor incalculável! 

 

E depois há as outras mulheres a fazer tudo para ter um filho e não conseguem, que têm de pagar fortunas para conseguir ter um filho porque o estado queixa-se da natalidade mas corta as pernas a quem quer ser MÂE e amar o seu filho incondicionalmente.

 

Ser-se Mãe, é ter a máxima Graça Divina.

 

Este mundo está mesmo de pernas para o ar!

Regresso à vida.

 

Considero o dia de hoje como um novo ponto de partida. Regressei à vida, regressei às aulas, turmas novas, escola nova e a feitura de "reset" a mim própria.

 

Preciso deste recomeço - e que seja efectivo - em muitas coisas da minha vida. Preciso de respirar livremente, com plenos pulmões para que tudo aquilo que me tem impedido de o fazer seja expelido definitivamente.

 

Preciso que os deuses, o universo e as forças positivas conspirem a meu favor, pois os obstáculos constantes e as rasteiras traiçoeiras já são mais do que suficientes. 

 

Preciso que cheguem até mim as boas notícias, a alegria e a felicidade. Tudo o resto, dispenso!

 

 

(Tenho andado meio afastada do blog porque tenho estado a passar por algumas situações complicadas. Acabei por ficar aqui caladinha, atrás dos bastidores...)